Trapizonga

Ir em baixo

Trapizonga

Mensagem por redondo em Sab 18 Dez 2010, 12:24

A Trapizonga vende alta costura (sem defeitos) a preços baixos. Diz que é a primeira loja de "moda reciclada", ou seja, restos de colecções de estilistas


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



O lema da nova cadeia de lojas Trapizonga, que está a introduzir em Portugal o conceito de moda reciclada, poderia ser "isto não é um outlet". As roupas e acessórios que se vendem aqui não têm defeitos, nem buracos ou falta de botões. As lojas não estão em grandes espaços ao ar livre, como se fossem a versão má dos grandes centros comerciais. Nem sequer os preços são semelhantes: enquanto um outlet oferece descontos de 40% ou 50%, estas lojas podem chegar aos 90%. Com que outra fórmula se chegaria a Armani, Ralph Lauren ou Dolce & Gabanna a 15 euros?

"Compramos lotes muito grandes", explica ao i Marta Ribeiro, criadora da cadeia. "Coisas que foram usadas nas passerelles, restos de colecções de estilistas, roupas usadas em peças de teatro", exemplifica. A ideia não é nova e até é comum lá fora, mas em Portugal nunca pegou por causa do estigma associado à roupa em segunda mão. O que Marta Ribeiro pretende, com a imagem e o marketing da cadeia Trapizonga, é desfazer esse preconceito. "É roupa em segunda mão de qualidade", indica, reiterando que muitas peças são novinhas em folha. No máximo, uma peça de estilista custará 200 euros. Na maioria das vezes, os preços rondam os 12, 15, 20 euros.

Oportunidade

A Trapizonga é um daqueles negócios que demonstram ser possível encontrar oportunidades em época de crise. Marta Ribeiro trabalhava na área financeira e ficou desempregada no auge da recessão. Acabou por aproveitar essa altura para lançar no mercado uma ideia que já tinha na cabeça e que é comum nos mercados internacionais. "Calculei que as pessoas teriam mais abertura a este negócio", revela, "uma vez que são obrigadas a poupar". Por isso, optou por uma imagem diferenciada das lojas de roupa em segunda mão que existem em Portugal. "No Bairro Alto, as lojas de segunda mão têm um cliente-tipo; nós não queríamos isso", adianta. "A pessoa deve sentir orgulho por ter ido a uma loja destas", reforça.

Por isso, Marta Ribeiro nem sequer consegue descrever um cliente típico. "Temos de tudo: pessoas com dinheiro, pessoas com menor poder de compra, romenos..." Na loja de Arroios, em Lisboa, o que se vende mais são fatos de homem, a 30 euros, porque é uma zona com muitos escritórios. Na loja da Avenida General Roçadas, o grande sucesso são as saias compridas para senhoras mais velhas. E a cadeia acaba de abrir uma terceira loja, desta vez em Massamá (linha de Sintra). Um ritmo de aberturas bem maior que o inicialmente previsto, já que a ideia era ter dois espaço até Setembro. Agora, a Trapizonga está à procura de lojas no Porto, em Setúbal e no Algarve, em regime de franshising. O investimento ronda os 25 mil euros, "chave na mão".



avatar
redondo
Doutorado em Tralhas
Doutorado em Tralhas

Número de Mensagens : 535
Idade : 43
Localização : Lisboa
Data de inscrição : 20/11/2007

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Trapizonga

Mensagem por kelly em Sex 21 Out 2011, 08:33

hoje fui à Trapizonga ao pé do metro Anjos

e comprei uma bela mala em pele

custou 15€

obrigada pela dica redondo!!!

avatar
kelly
Doutorado em Tralhas
Doutorado em Tralhas

Número de Mensagens : 402
Idade : 32
Data de inscrição : 25/02/2008

Ver perfil do usuário http://www.tralhasgratis.org/t31389-trocas-da-kelly-actualizado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum